segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Uema alcança 160 mil alunos de 45 países em cursos livres online


Uma das primeiras faculdades públicas do Nordeste a lançar plataformas digitais de cursos livres gratuitos, a Universidade Estadual do Maranhão (Uema), por meio do Núcleo de Tecnologias para Educação (UemaNet), já alcança cerca de 160 mil alunos de 45 países, incluindo o Brasil.

São 24 cursos abertos nas mais diversas áreas, entre tecnologia, administração e direito, entre outros módulos. Os cursos começaram a ser ofertados em 2015, no início da gestão do governador Flávio Dino.

Todos os cursos são em português. Há também a opção de inglês em Relações Internacionais.

A ação é o resultado de mais um compromisso do Governo do Maranhão, que vem investindo em tecnologias em todos os níveis, modalidades e diversidades educacionais.

Com o UemaNet, além da oportunidade de aprendizado, os estudantes que cumprem todo o cronograma e uma bateria de atividades recebem no final do curso, após avaliação, o certificado da instituição de ensino, atestando a qualificação para o mercado de trabalho.

Referência

A oportunidade tem despertado a atenção de estudantes de 45 países do mundo, o que reflete em 160 mil inscrições na plataforma. “Ficamos muito felizes em identificar a adesão de integrantes de diversos países, como também de brasileiros que residem fora do Brasil. Isso é satisfatório e gratificante para o ensino, como ter a UEMA como referência no nosso país”, relata a professora e coordenadora geral do Núcleo de Tecnologia Para Educação (UemaNet), Ilka Serra.

Os cursos ofertados pela UemaNet buscam atualizar ou aperfeiçoar os conhecimentos dos alunos, preparando-os para os constantes desafios do mercado atual. “A UEMA tem cursos online completamente gratuitos, abertos e com material didático desenvolvido por professores da Universidade. Além de adquirir conhecimento, ainda existe a flexibilidade de horário para a realização dos estudos”, ressalta a coordenadora.

Ministrados por professores mestres e doutores, atualmente os cursos são ofertados na plataforma digital no seguinte link http://www.cursosabertos.uema.br.

Os cursos são em Tecnologia e informação, Lógica de Programação, Multimeios em Educação, Psicologia da Educação, Microbiologia dos Alimentos, Gestão Logística, Conceitos em Biodiversidade, Geografia Aplicada, Recursos Ambientais Aplicados ao Turismo, Planejamento Estratégico, Gestão em Agronegócios, Gerenciamento de Projetos, Direito Administrativo, Desenvolvimento Humano e Educação, Princípios de Mineração, Ética Profissional, Marketing e Varejo, Dificuldades de Aprendizagem, Gestão com Pessoas, Gestão Ambiental e Sustentabilidade, Relações Internacionais, Bioética e Negociação.

Cursos de Graduação e Especialização

Em 2017 foram ofertadas 4.200 vagas para cursos de graduação online. Atualmente a UEMA oferta nove cursos de graduação a distância. Na licenciatura, são os cursos de Música, Geografia, Pedagogia, Filosofia e Formação Pedagógica. Em bacharelado estão sendo disponibilizados os cursos de Administração Pública e três tecnólogos (Tecnologia de Alimentos, Segurança no Trabalho e Gestão Comercial). O número de vagas para o ano de 2018 será divulgado após a elaboração do edital do vestibular.

Já os cursos de pós-graduações em latu sensu a distância disponibilizaram 16 especialidades para o ano de 2018. As vagas já foram preenchidas de acordo com o edital divulgado em 2017.

Celebração

A UEMA celebra em 2018, 20 anos de realização de curso a distância. Além do tempo de ensino virtual, a Universidade comemora a presença física em 35 polos de apoio presencial que dão suporte aos 160 municípios inseridos no programa de Ensino a Distância no Maranhão.

domingo, 21 de janeiro de 2018

Professora Teresinha Brito é coautora de livro sobre Avaliação, Desempenho Escolar e Gestão Pedagógica


A Professora Teresinha Brito é coautora do livro Avaliação da Educação, Desempenho Escolar e Gestão Pedagógica, que reúne artigos de diversos pesquisadores da educação, incluindo Casemiro Campos e Cipriano Luckesi, autores já consagrados no meio educacional. O livro, organizado por Casemiro Campos, Fabrícia Roberta Viana e Maria Eliana Alves Lima, publicado pela Editora Caminhar e Instituto Atlântico, foi lançado durante a Jornada Pedagógica 2018 dos Professores de São Raimundo das Mangabeiras, realizada entre 16 e 18 de janeiro.

O Editor do Blog, João Batista Passos, com Casemiro Campos
e Teresinha Brito.
O artigo de Teresinha Brito tem por tema: “Avaliação Institucional da Gestão Escolar da Rede Municipal de Ensino de São Raimundo das Mangabeiras – MA”. O trabalho foi realizado através de pesquisa exploratória, tendo sido feita a coleta de dados por meio de questionário com perguntas abertas e fechadas, aplicado aos gestores administrativos e pedagógicos das escolas objeto da pesquisa.

“Nesse artigo, eu resolvi escrever sobre a nossa realidade de São Raimundo das Mangabeiras, como os gestores veem as avaliações externas e internas no nosso mundo educacional, como os coordenadores pedagógicos encaram essas avaliações que acabam por avaliar o nosso trabalho”, enfatizou Teresinha Brito sobre o seu artigo.

“É um livro com estudos sobre evidências da escola, do ponto de vista da avaliação, daquilo que melhor está se fazendo hoje no Maranhão, a partir dos resultados das avaliações de larga escala. Então, Municípios e Escolas foram objeto de pesquisa, os autores dos artigos aqui presentes, dentre eles a Professora Teresinha Brito, tiveram a oportunidade, ao pesquisar, de refletir sobre essas experiências nas escolas e gerar, a partir dessas investigações, uma síntese que se transformou em artigo no livro”, explicou o Professor Casemiro Campos sobre a organização do Livro.


Teresinha Brito ofereceu o livro à sua mãe, Lusia Passarinho, poetisa mangabeirense, autora do livro Versos que o Coração Escreveu, de 2003, bem como a seus filhos, Elmorane Coêlho, Carlos Aurélio e Carlos Junior, “para que eles vejam em mim a força do estudar sempre, do estar sempre buscando e se renovando”, disse.

Sobre a autora

sábado, 20 de janeiro de 2018

Professores Municipais de Mangabeiras terão reajuste salarial neste mês de janeiro


Os Professores da Rede Municipal de Educação de São Raimundo das Mangabeiras terão reajuste salarial neste mês de janeiro. O anúncio foi feito pelo Prefeito Municipal, Rodrigo Coêlho, nessa quinta-feira, 18 de janeiro, durante a Jornada Pedagógica 2018, evento destinado à Formação Continuada dos Professores Municipais. O percentual do reajuste está sendo definido pela contabilidade da Prefeitura, mas ficará entre 4% e 5%.

“Entendemos que temos que ter a responsabilidade com o pagamento, não é só dar aumento salarial e não ter condição de pagá-lo. Esse é o reajuste possível para este ano”, disse o Prefeito.

O reajuste anual dos professores de São Raimundo das Mangabeiras é previsto no Plano de Cargo, Carreira e Salário da Categoria. Com o reajuste, os professores do Município continuarão a ter uma remuneração acima do Piso Nacional da Educação, que este ano está em R$ 2.455,52 para uma jornada de 40 horas semanais. Os professores do Município têm jornada de 20 horas semanais, sendo 13 horas em sala de aula e sete para atividades de planejamento.

Mesmo com a crise econômica que atinge o país, e que tem colocado muitas prefeituras em dificuldades, o Governo Municipal em São Raimundo das Mangabeiras tem conseguido manter as contas equilibradas, garantindo salários em dia e investimentos que possibilitam melhores serviços públicos, geração de emprego e renda.

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Avaliação foi tema da Jornada Pedagógica 2018 para os professores de São Raimundo das Mangabeiras


Foi realizada entre os dias 16 e 18 de janeiro, a Jornada Pedagógica de 2018, em São Raimundo das Mangabeiras. Evento destinado à formação continuada dos Professores da Rede Municipal de Educação, este ano com o tema: “Avaliação: Uma ferramenta para o fortalecimento da docência”. O evento foi promovido pela Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Educação – SEMED.

A Jornada 2018 contou com palestras do Prof. Dr. Casemiro Campos, voltadas à avaliação, e da professora Jamara Morais de Miranda, que apresentou a Nova Base Nacional Comum Curricular.

“A realização da Jornada Pedagógica de2018 foi pensada com mais antecedência e com o carinho e o profissionalismo que a nossa classe professoral merece”, destacou a Secretária Municipal de Educação, Professora Teresinha Brito, enfatizando que a escolha do Professor Casemiro Campos, como palestrante deste ano, possibilitou aos professores refletir melhor sobre a prática docente, principalmente no tocante à avaliação.

“O professor que dá a sua aula bem dada, que conduz a sua prática da melhor maneira possível, ele precisa ser um excelente avaliador, porque enquanto ele avalia o aluno, ele avalia o seu trabalho e, avaliando o seu trabalho, ele pode fazer uma correção de rota, um refazer do caminho, para que ele próprio faça mudanças em si, às quais irão refletir no aluno que ele tem todos os dias”, ponderou Teresinha Brito.


“Fundamentalmente a docência é uma prática que requer uma sólida fundamentação teórica. A partir da experiência, da ação docente, daquilo que o professor faz na sala de aula, ele reflete sobre sua ação, recompondo-a para um novo fazer. Então, ele se renova […] A ideia da formação continuada nas jornadas pedagógicas é exatamente permitir essa atualização contínua do professor”, comentou Casemiro Campos sobre a importância das formações continuadas para os professores.

A professora Jamara Morais de Miranda apresentou a nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC) durante o evento. A Nova Base foi homologada pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, no dia 20 de dezembro de 2017. “O Município está de parabéns porque está sendo pioneiro, no estado do Maranhão, [na apresentação da Nova Base]. O que se percebe é um interesse da comunidade em estar atenta às novas informações”, avaliou a Professora Jamara sobre a inclusão da apresentação da Nova Base Nacional Comum Curricular na programação do evento.

No encerramento da Jornada Pedagógica, aproveitando que todos os professores estavam reunidos, o Prefeito Municipal, Rodrigo Coêlho, fez importantes anúncios, como o reajuste salarial para 2018, que será concedido neste mês de janeiro, cujo percentual está sendo definido, mas que ficará entre 4% e 5%. “Entendemos que temos que ter a responsabilidade com o pagamento, não é só dar aumento salarial e não ter condição de pagá-lo. Esse é o reajuste possível para este ano”, disse o Prefeito. O reajuste anual dos professores é previsto no Plano de Cargo, Carreira e Salário da Categoria. Com o reajuste, os professores municipais continuarão recebendo seus proventos acima do Piso Nacional da Educação. O prefeito falou ainda, dentre outros pontos, que o governo está iniciando planejamento para a realização de concurso público e atendeu à reivindicação dos professores para que a primeira parcela do 13º salário seja paga em julho.

A Jornada Pedagógica 2018 foi marcada ainda pelo lançamento do livro “Avaliação da Educação, Desempenho Escolar e Gestão Pedagógica”, que tem o Professor Casemiro Campos dentre os organizadores e a Professora Teresinha Brito dentre os autores. O livro vem de encontro ao tema da Jornada e serve de auxílio à prática docente, pois fala da Educação de Mangabeiras em especial.

“É um livro com estudos sobre evidências da escola, do ponto de vista da avaliação, daquilo que melhor está se fazendo hoje no Maranhão, a partir dos resultados das avaliações de larga escala. Então, Municípios e Escolas foram objeto de pesquisa, os autores dos artigos aqui presentes, dentre eles a Professora Teresinha Brito, tiveram a oportunidade, ao pesquisar, de refletir sobre essas experiências nas escolas e gerar, a partir dessas investigações, uma síntese que se transformou em artigo no livro”, explicou o Professor Casemiro Campos sobre a organização do Livro.

A Professora Teresinha Brito explicou que a seu artigo publicado no livro apresenta resultado de estudo da realidade do Município. “Nesse artigo, eu resolvi escrever sobre a nossa realidade de São Raimundo das Mangabeiras, como os gestores veem as avaliações externas e internas no nosso mundo educacional, como os coordenadores pedagógicos encaram essas avaliações que acabam por avaliar o nosso trabalho”, enfatizou Teresinha Brito sobre o seu artigo.


A Jornada Pedagógica 2018 encerrou com a realização da 2ª Conferência Municipal de Educação, com o tema: “A consolidação do Sistema Nacional de Educação – SNE e o Plano Nacional de Educação – PNE: Monitoramento, avaliação e proposição de políticas para a garantia do direito à educação de qualidade social, pública, gratuita e laica”. A Conferência configurou-se em um momento para que os professores e a sociedade em geral pudessem contribuir com propostas para o Plano Municipal de Educação.

Na saída do evento, os professores foram recebidos pela Secretária, que ofertou o momento Livro na Praça, disponibilizando mais de 600 livros para os docentes, além de música ao vivo e comidas típicas. Um show de encerramento.

A realização da Jornada Pedagógica reforça o compromisso do Governo Municipal com a qualidade da educação, investindo na formação continuada dos professores, objetivando ofertar uma educação cada vez mais eficiente, garantindo aprendizado aos alunos e consequente melhoria dos índices educacionais, contribuindo assim para o desenvolvimento econômico e social do Município.


Recursos federais beneficiarão atividades do IFMA Campus São Raimundo das Mangabeiras


O campus do IFMA em São Raimundo das Mangabeiras encerrou 2017 com boas perspectivas para o exercício do ano que se inicia, por conta da liberação de recursos federais da ordem de R$ 988,74 mil, na forma de créditos descentralizados.

Segundo o Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle do Ministério da Educação (Simec), portal operacional e de gestão que trata do orçamento federal na área da educação, o objetivo da descentralização de créditos foi atender à realização de serviços de manutenção predial do Campus Mangabeiras, bem como a aquisição de equipamentos de tecnologia da informação (TI) e laboratório, e a aquisição de insumos para abastecer a área agrícola e setores administrativos. Com isso, espera-se proporcionar à comunidade, alunos e servidores, ambientes estruturados de salas de aula e laboratórios, garantindo-se o bom andamento das atividades de ensino, pesquisa e extensão. Os recursos foram repassados pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec/MEC).

“No fim de 2018, os servidores vão verificar o avanço significativo que teremos em relação à estrutura predial do campus”, disse Jânio Fernandes, diretor-geral do Campus Mangabeiras, ressaltando os benefícios que as melhorias de infraestrutura trarão também para o corpo discente. Sobre a execução das obras, ele informou ter sido contratado uma empresa de manutenção predial, que fará adequações nas instalações da unidade do IFMA. Jânio Fernandes destacou o empenho pessoal dispendido pela equipe da Diretoria de Planejamento e Gestão (DPG) do Campus, que a cada ano busca aprimorar o planejamento institucional em relação aos exercícios anteriores.

De acordo com a titular da DPG, Rayanne Lopes Silva, os recursos aportados para o campus constituem verbas extraordinárias à Lei de Orçamento Anual (LOA 2017), e vão contribuir significativamente para as atividades-fim do Campus Mangabeiras. Ela explicou ter havido a descentralização de recursos tanto de custeio (dotações necessárias para manter o funcionamento do órgão, como contratação de terceiros e material de consumo) quanto de capital (recursos empregados em investimento).

Sobre a aplicação dos recursos, a DPG divulgou que as verbas de custeio serão empregadas na manutenção a ser feita na estrutura predial. Já os recursos de capital permanente para investimentos contemplarão despesas como a compra de equipamentos para os laboratórios (Biologia, Química, Agropecuário, Piscicultura), mobiliário, ar condicionado, equipamento de ultrassom veterinário e receptores de geoprocessamento.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...