sábado, 9 de julho de 2016

IFMA de Mangabeiras se destaca em eventos de fomento a projetos tecnológicos


O Campus São Raimundo das Mangabeiras vem se destacando na realização e participação em eventos científicos voltados a projetos tecnológicos. Depois de ter conquistado premiações em diversas categorias do Seminário de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (SEPPIE 2016), ocorrido em abril, a comunidade científica do campus organizou a primeira edição do Seminário de Pesquisa, Extensão e Inovação do Cerrado Sul Maranhense (SEPEICESMA), que enfocou este bioma na região Sul do Maranhão.

Com o tema “O Cerrado em Foco”, o SEPEICESMA ocorreu no período de 15 a 17 de junho, com coordenação do professor Cristóvão Colombo Couto. Promovido com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa a ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), o evento teve a finalidade de integrar diferentes segmentos da sociedade – comunidade acadêmica de instituições de ensino, pesquisa e extensão, setor público e agricultores familiares, dentre outros –, que debateram sobre questões pertinentes ao Cerrado, como a produção agropecuária sustentável, agricultura familiar, unidades de conservação, agroecologia, sociobiodiversidade.

A programação incluiu palestras, minicursos, oficinas, além de exposição de trabalhos de pesquisa e extensão, e o Seminário teve ainda o Espaço Mangabeiras de Inovação, dedicado ao empreendedorismo inovador, onde foram expostos produtos da agricultura familiar do Sul do Maranhão. Outro diferencial do SEPEICESMA foi a Mostra Tecnológica, evento que apresentou à comunidade produtos, processos, protótipos e serviços inovadores desenvolvidos no IFMA, sendo pela primeira vez realizado de forma local, por um campus do Instituto, com produtos de pesquisadores da própria unidade. O trabalho “Aquaponia 14 Bis”, de Claude Brito, obteve a primeira colocação na Mostra, ao apresentar um sistema de módulos integrados de criação de peixes e cultivo de hortaliças. As outras duas premiações foram para pesquisas que resultaram em uma chocadeira automática de baixo custo e na produção de uma geleia que combina os sabores do maracujá com pimenta.

Segundo os organizadores, a proposta de realizar o SEPEICESMA foi promover a discussão sobre a importância do bioma Cerrado, assim como para buscar soluções para conter o desmatamento e melhorar a vida da comunidade. Vegetação típica de locais com estações bem definidas (alternando épocas chuvosas e secas) e solo arenoso, o Cerrado Sul Maranhense abrange 33 municípios e se situa na área de transição de três regiões brasileiras (Norte, Nordeste e Centro-Oeste), ocupando cerca de 10 milhões de hectares, que correspondem a 30% do território do estado. Movimentos ambientalistas e a população têm mostrado preocupação com as mudanças causadas pelo desmatamento do bioma desde a década de 1990.

SEPPIE 2016

Para além do contexto local, as iniciativas de pesquisa, extensão e inovação desenvolvidas no Campus Mangabeiras alcançaram posições de destaque no SEPPIE 2016, que ocorreu em São Luís de 5 a 8 de abril, no Campus Maracanã, englobando a produção de todo o Instituto. No Workshop promovido pela Pró-reitoria de Extensão (PROEXT), foi premiado como melhor trabalho o minicurso coordenado por Raíssa Almeida Gomes, técnica em Alimentos e Laticínios. O projeto de extensão abordou as boas práticas de manipulação para estabelecimentos processadores de carnes e derivados de Mangabeiras, tendo como público-alvo comerciantes e trabalhadores que lidam com a manipulação desse tipo de produto.

O minicurso vencedor do Workshop PROEXT abordou temas como riscos princípios de segurança no trabalho de produção e manipulação de carnes e derivados, desde o recebimento da matéria-prima ao ponto de venda, assim como as competências dos órgãos de fiscalização e regularização do setor. “O curso foi de muito aprendizado e saí mais encorajada a colocar em prática os conhecimentos adquiridos”, disse Maria Hermildes da Silva Nunes, proprietária de um açougue na cidade, informando ter sido sua primeira participação em um projeto dessa natureza. A coordenadora Raíssa Gomes também destacou o pioneirismo de oferecer o curso, que por meio de orientação e conscientização possibilitou a produção de alimentos seguros e de qualidade para o consumidor, além de contribuir para o desenvolvimento e crescimento do setor.

No segmento das startups, a plataforma de aprendizado de matemática básica Calculearn, desenvolvida pelo professor de Informática Sebastião Ricardo Costa Rodrigues, obteve o segundo lugar no Desafio de Ideias do SEPPIE 2016. Este concurso de aceleração de negócios compôs a programação paralela do Universo IFMA, juntamente com a Mostra Tecnológica e a Fábrica de Jogos. A concepção do Calculearn partiu da necessidade de formar crianças, além de ajudar jovens e adultos a trabalhar de maneira divertida com matemática básica. Através de um jogo (ou plataforma gamificada), é possível aprender e aumentar a capacidade de resposta às quatro operações básicas, e ainda em cálculos envolvendo potenciação, radiciação, frações, porcentagens, trigonometria, e outros conhecimentos matemáticos necessários para o avanço nos estudos e para uso cotidiano.

Os trabalhos de estudantes dos cursos técnicos e de graduação do Campus Mangabeiras também foram agraciados com premiações no SEPPIE 2016, no Seminário de Iniciação Científica (SEMIC). No Ensino Médio, o primeiro lugar foi conquistado por um projeto na área das Ciências Biológicas e Agrárias, voltado à avaliação de diferentes cultivares de milho híbrido cultivados no sul do Maranhão. O trabalho foi realizado pelos bolsistas Daniel Barbosa de Santana, Elias Oliveira Neto e José Iglésio Sousa Filho, com orientação do professor Marcio da Silva Vilela. No campo das Engenharias, o bolsista Miqueias de Lima Ramos, orientado pela pesquisadora Alexsandra dos Anjos Silva Nascimento, obteve a segunda colocação com sua análise da microestrutura do aço inoxidável austenítico, utilizado em implantes ortopédicos, ao ser submetido a ensaio de torção a quente. Já no ensino superior, foi premiado na terceira posição o projeto sobre uso e manejo de plantas nativas que integram a alimentação das comunidades no entorno do Campus Mangabeiras, desenvolvido pela estudante Tatiana de Souza Barros, que teve Miquéias Oliveira de Souza como orientador.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...