quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Professores da rede estadual em São Raimundo das Mangabeiras participam de paralisação de advertência

Os professores da rede estadual de educação em São Raimundo das Mangabeiras participaram nesta terça feira, 22, da paralisação de advertência organizada pelo sindicado dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA). A paralisação ocorreu em diversas cidades do estado.

Em São Raimundo das Mangabeiras, os professores estão lotados na Escola São Raimundo Nonato, única escola estadual em funcionamento no município.

A mobilização no município foi organizada pelo presidente do núcleo sindical, Felix Resplandes, que foi à rádio comunitária FM Rio Neves para avisar a população da paralisação e dos motivos da mesma.

“Este governo insiste em não cumprir a lei, em não cumprir acordo e em banalizar a educação do estado do Maranhão”, disse Felix durante o programa de Rádio Memórias de Mangabeiras nesta terça feira.

“A mobilização desta terça é uma resposta dos trabalhadores em educação à falta de compromisso do governo do estado de honrar o acordo firmado com a categoria que envolve o pagamento de titulações, promoções e gratificação de estímulo profissional”, informou o sindicato em seu site.

A secretária-geral do Sinproesemma, Janice Nery, ressalta que as mobilizações serão feitas mensalmente até que o governo do estado se ajuste com a categoria.

“Vamos parar um dia a cada mês. Caso o governo do estado der em janeiro de 2014 mais um golpe na categoria não pagando as progressões dos trabalhadores, vamos à greve”, disse.

Avaliação positiva

Na avaliação do presidente do SINPROESEMMA, Júlio Pinheiro, o Dia Estadual de Paralisação cumpriu seu papel de parar as atividades nas escolas estaduais e chamar atenção da sociedade para o objetivo do Sindicato de cobrar do governo do Estado o compromisso de cumprir o que as duas partes haviam estabelecido..

“A categoria dos educadores tem experimentado dissabores porque o governo não vem cumprindo os prazos. A paralisação tem o objetivo justamente de pressionar para que esses prazos venham a ser cumpridos, e vai culminar com a cobrança do pagamento das progressões, em janeiro de 2014”, comentou Pinheiro. Pinheiro confirmou nova paralisação em novembro e dezembro.

Caso o governo continue não cumprindo o acordado com a categoria, os protestos vão continuar mensalmente e se as medidas prejudicarem as progressões previstas para janeiro de 2014, o ano letivo deverá não ser iniciado e os trabalhadores poderão entrar em greve.

Leia mais sobre a paralisação AQUI.

Felix Resplandes, presidente do Sinproesemma em São Raimundo das Mangabeiras, informou a população da paralisação por meio da Rádio FM Rio Neves.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...