sábado, 1 de julho de 2017

Executada pelo Exército, pesquisa de Origem e Destino tem posto de coleta na BR 230 em Mangabeiras


Teve início neste sábado, 1º de julho, a terceira etapa da Pesquisa de Origem e Destino, ação estratégica do Plano Nacional de Contagem de Tráfego – PNCT. A pesquisa prosseguirá até o dia 07 de julho, simultaneamente em 123 postos distribuídos nas principais rodovias federais brasileiras, sendo cinco no Maranhão, incluindo um posto em São Raimundo das Mangabeiras, na BR 230, em frente ao IFMA.

Com o objetivo de fazer um diagnóstico socioeconômico das viagens em rodovias federais, a pesquisa é executada pelo Comando de Operações Terrestres – COTER, do Exército Brasileiro, em parceria com Universidade Federal do Rio de Janeiro (URFJ) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes - DNIT.

O diagnóstico de tráfego é importante para a identificação dos principais corredores de transporte com gargalos logísticos e da consequente necessidade de expansão ou adequação de capacidade das rodovias, além de ser ferramenta fundamental para as atividades de projeto, construção, manutenção e operação rodoviária.

A metodologia para consolidação dos dados e a aplicação de um modelo matemático, que permitirá o cálculo do tráfego para toda a malha rodoviária, serão responsabilidade da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. As contagens volumétricas e classificatórias de tráfego visam determinar a quantidade, o sentido e a composição do fluxo de veículos que passam por um ou vários pontos selecionados do sistema viário, numa determinada unidade de tempo. 

A ação do Exército no posto de coleta não inclui a realização de revista, multas ou apreensões de veículos. Em caso da identificação de algum veículo suspeito, o Exército aciona a Polícia Militar ou a Polícia Rodoviária Federal para que faça as devidas averiguações e procedimentos legais.


Levantamento de dados

A partir de entrevistas com os condutores que transitam nas rodovias federais, serão levantadas informações como: tipo de carroceria, ano de fabricação do veículo, número de passageiros, tipo de combustível, motivo de escolha da rota, motivo de viagem, carga transportada. Para a coleta dos dados, os militares vão utilizar tablets adquiridos pelo DNIT. Depois da aplicação da Pesquisa OD, os equipamentos ficarão à disposição dos servidores de todas as superintendências regionais e unidades locais para auxílio nos trabalhos de campo nas rodovias.

Plano Nacional de Contagem de Tráfego

Em 2012, estudos desenvolvidos pelo DNIT, através do Instituto de Pesquisas Rodoviárias - IPR em parceria com a Universidade Federal de Santa Cantarina -UFSC, resultaram no novo plano de contagem de tráfego. O DNIT retomou, em 2014, o Plano Nacional de Contagem de Tráfego - PNCT. A identificação do comportamento do tráfego nas rodovias federais é fundamental para as atividades-fim da autarquia.

Importância

O desenvolvimento do Plano Nacional de Contagem de Tráfego, procurou e procura cobrir os trechos mais representativos da malha rodoviária de cada estado e, sem dúvida, de fundamental importância, pois seus resultados são subsídios básicos para os estudos de planejamento em geral, estudos econômicos e projetos rodoviários, essenciais ao estabelecimento de critérios para o cumprimento das seguintes finalidades:

- Planejar o sistema rodoviário;

- Programar necessidades e prioridades de melhorias no sistema rodoviário;

- Medir a demanda atual de serviços por via rodoviária;

- Estabelecer as tendências de tráfego no futuro;

- Determinar os volumes de viagens de forma a proporcionar justificativa econômica aos investimentos programados;

- Avaliar o fluxo existente de tráfego em relação ao sistema rodoviário atual;

- Estimar os benefícios dos usuários nas rodovias;

- Estabelecer uma classificação do sistema rodoviário;

- Justificar e planejar o policiamento;

- Estabelecer o veículo de projeto para fins de projeto geométrico;

- Projetar pavimento, obras de arte, seção transversal e outros elementos de rodovia;

- Estudos de localização de postos de pesagem, socorro médico emergencial e etc.;

- Analisar a capacidade e estabelecer o Nível de Serviço;

- Realizar análise estatística de acidentes;

- Localizar e projetar instalações para a operação rodoviária. 


Com informações do DNIT

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...